Polícia prende 3º suspeito de participação na morte de taxista

O delegado Rodrigo Sarmento, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil, responsável pelo inquérito que investiga a morte do taxista Edísio Correia, de 64 anos, que mais um envolvido no crime foi preso, na tarde desta sexta-feira (25). Este foi o terceiro detido em uma operação policial nas últimas 24 horas.

De acordo com a polícia, Ralpho da Silva Gomes, de 42 anos, foi preso por policiais civis da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic) e por policiais militares do 1º Batalhão, sendo conduzido para a sede da DHPP para ser ouvido .

O delegado Rodrigo disse ainda que tanto Ralpho, como Guilherme Ferreira Vieira, 18 anos, e Wanderson Felipe, 23, que já estavam presos, tiveram as prisões preventivas decretadas pelo juiz Geraldo Cavalcante Amorim, da 9ª Vara Criminal.

“Agradeço o apoio do juiz Geraldo Amorim, que deferiu as prisões preventivas representadas pela Delegacia de Homicídios no mesmo dia”, frisou o delegado. Rodrigo Sarmento reforçou que o caso já está esclarecido, mas que o trabalho de investigação continua e novas prisões podem acontecer a qualquer momento.

Após a prisão de dois suspeitos de participação no assassinato do taxista Edísio Correia dos Santos, 64 anos, a polícia averiguou que os suspeitos têm envolvimentos em outros crimes de homicídio, em porte ilegal de arma de fogo e em estupros. Os outros suspeitos do crime estão sendo procurados.

A informação foi repassada pelo delegado Rodrigo Sarmento. “A gente está com diligências em andamento, mas agora não tem como adiantar muito os detalhes. Foram quatro pessoas envolvidas no crime”, afirma Rodrigo Sarmento.

Segundo o delegado do caso, os detalhes da elucidação do crime serão apresentados à imprensa quando o inquérito for concluído. “O latrocínio está praticamente descartado, a linha de investigação mais forte leva ao crime de homicídio, muito embora tenham subtraído bens da vítima, o crime foi de homicídio”, explica Sarmento.

Foram detidos Guilherme Ferreira Vieira, 18 anos, e Wanderson Felipe, 23 anos, ambos suspeitos de envolvimento na morte do taxista. “A motivação a gente vai passar quando fechar o inquérito e divulgar os nomes de todos os envolvidos”, acrescenta o delegado.

Edísio Correia Santos foi encontrado morto, na tarde de quarta (23), em um terreno baldio, na entrada do Conjunto Residencial Chã Nova, bairro Jardim Petrópolis, parte alta de Maceió.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *