ÁUDIO: Delegado da DEIC fala ao programa CANAL 96 sobre áudios em que baixinho Boiadeiro trama assassinato de deputado e prefeita

A Polícia Civil de Alagoas descobriu um plano supostamente arquitetado pela família Boiadeiro para assassinar a prefeita de Batalha, Marina Dantas (MDB), e o deputado estadual Paulo Dantas (MDB), que são casados. Em áudios de 2018, os delegados mostram que os envolvidos falam sobre toda a trama (ouça no vídeo acima).

Segundo a polícia, a pessoa contratada para executar o crime confessou o plano dos primos Boiadeiro. O delegado Thiago Prado, esteve falando ao radialista Mitchel Torquato sobre o assunto.

Os delegados apuram a suspeita do envolvimento de José Márcio Cavalcanti de Melo, o Baixinho Boiadeiro, no plano para assassinar o casal Paulo e Marina Dantas.

Na terça-feira (5), Baixinho Boiadeiro foi condenado a 45 anos de prisão por um duplo homicídio ocorrido em 2006. Após o júri popular, ele foi conduzido à sede da DEIC, onde foi interrogado e negou envolvimento no plano.

Ele também é investigado pelo homicídio do vereador de Batalha Tony Pretinho e pela tentativa de assassinato a José Emílio Dantas.

Segundo as investigações, José Márcio, com o auxílio do seu primo Dênis Boiadeiro, teria pago a quantia de R$ 290 mil a pistoleiros pernambucanos que executariam o parlamentar e a prefeita.

“Existem vários áudios onde eles organizam toda a prática criminosa. Já sabemos que os pistoleiros contratados são de Pernambuco e eles foram contratados pela quantia de R$ 300 mil, uma quantia alta se tratando das pessoas que seriam vítimas. Parte foi paga, mas não se totalizou os 300 mil porque o serviço não foi executado”, afirma o delegado Thiago Prado.

“O baixinho Boiadeiro é a pessoa que mais fala nos áudios. Sabemos que as pessoas dos áudios são todos da família Boiadeiro. Felizmente a polícia conseguiu descobrir essa trama e está mostrando para a sociedade alagoana que se tratam de pistoleiros e que agora traremos a paz para o estado de Alagoas”, diz o delegado Thiago Prado

O crime foi encomendado no início do mês de junho de 2018 e a ordem era que o casal fosse morto antes das eleições para evitar que Paulo Dantas se elegesse ao cargo de deputado estadual para o qual concorria.

“Os áudios foram encaminhados para a polícia pela pessoa contratada e que confessou todo o crime. O plano era para que os dois fossem assassinados antes das eleições, mas esse plano não foi concretizado porque a polícia descobriu antes. A polícia descobriu o pistoleiro contratado e ele confessou toda a trama de matar o deputado Paulo Dantas e a prefeita Marina Dantas. As vítimas estão com mais segurança”, disse Thiago Prado.

O plano foi confirmado por meio de áudios cujas suspeitas levam a voz de Baixinho Boiadeiro cobrando o término do serviço. Em alguns dos áudios também pode ser ouvida a voz de José Laelson Rodrigues de Melo, o Zé do Laércio Boiadeiro, condenado em 2012 a 35 anos de prisão pelo assassinato do ex-prefeito de Batalha, José Rodrigues Dantas.

Ouça abaixo a entrevista concedida pelo delegado Thiago Prado ao programa CANAL 96 ,apresentado por Mitchel Torquato

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *