Ex-sargento da PM preso em operação da PRF em Pernambuco cumpria pena no semiaberto

O ex-policial militar, Raimundo Edson da Silva Medeiros, mais conhecido como Sargento Medeiros, estava cumprindo pena no sistema semiaberto pelo crimes de homicídios.

O ex-sargento foi preso na noite desta terça-feira juntamente com o prefeito de São Miguel dos Milagres, Bureco Ataíde, e mais dois homens em uma operação da Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco.

Sargento Medeiros é acusado por mais de 30 crimes praticados em Alagoas e Pernambuco e já foi condenado por homicídio. Já o regime semiaberto, em 2018 ele foi liberado em audiência de custódia depois de ter sido preso acusado de liderar uma quadrilha de roubo de carros e extorsão em Maceió.

O ex-militar é acusado de participar de cerca de 30 assassinatos, entre eles o do promotor de Justiça da cidade de Água Preta, interior de Pernambuco, Rossini Couto crime registrado naquele estado e que contou com a participação do ex-PM José Ivan Marques de Assis, condenado a 24 anos de prisão e de Sivonaldo Leobino da Silva, condenado a 20 anos de prisão.

Medeiros também é suspeito de ter participação indireta na execução do assessor parlamentar Cícero Sales Belém em novembro de 2005 em um dos trechos da Avenida Durval de Góes Monteiro em Maceió, após a vítima deixar a residência do deputado Fernando Tenório, no Condomínio Aldebaran.

Junto com Cícero, que era acusado de vários assassinatos em Alagoas, também foi morto o estudante José Alfredo Tenório Filho.

Sargento Medeiros deixou o sistema prisional em 2016, após cumprir um sexto da pena, a qual foi condenado. Medeiros foi preso pela Polícia Federal acusado de diversos assassinatos e cumpriu uma parte da pena detido em um presídio federal a pedido dos magistrados integrantes da 17º Vara Criminal da Capital.

Ele conseguiu fugir da carceragem da Polícia Federal em 2006 e foi recapturado em 2008 escondido em um fundo falso de uma armário, na residência da irmã

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *