Vídeo:Familia de vaqueiro assassinado em Cacimbinhas ainda espera respostas; relembre entrevista de uma parente

Às vésperas de completar 6 meses, o assassinato do vaqueiro Cristóvão Silva de Lima, 39 anos, ocorrido em 08 de janeiro deste ano, ainda deixa uma série de perguntas sem respostas. O crime ocorreu Sítio Galinha dos Maias, zona rural de Cacimbinhas, Sertão de Alagoas.

A família do homem assassinado relembrou o caso e pede por justiça. “Vai fazer 6 meses que covardemente, cruelmente, tiraram a vida do meu irmão, não só a dele e sim a metade da minha e de minha família. E até hoje, a gente espera uma reposta dessa maldita justiça da terra. Aqui só tem valor quem tem dinheiro”, desabafa uma parente identificada como  Eliene Silva.

O vaqueiro Cristóvão Silva de Lima, 39 anos, foi morto a tiros no dia 8 de janeiro de 2022, em uma fazenda localizada no Sítio Galinha dos Maias, zona rural de Cacimbinhas. A família diz que o homem havia sido ameaçado por um cunhado 30 dias antes do crime.

De acordo com Eliene Silva, irmã da vítima, Cristóvão, dormia quando foi chamado na porta de casa pelos suspeitos que pediram um balde com água para colocar no radiador do carro em que eles estavam, uma vez que o veículo havia apresentado problemas mecânicos.

Nesse momento, a vítima pegou o balde com água e ao seguir em direção do veículo, um dos suspeitos efetuou cerca de quatro disparos. A irmã de Cristóvão, revela ainda que seu irmão tinha desavenças com outras pessoas que virou caso de polícia, mas que isso ficou só nas discussões. As causas do homicídio estão sendo investigadas pela delegacia de Cacimbinhas.

Relembre –

Um vaqueiro de 39 anos foi assassinado a tiros neste sábado (08/01/2022), em uma fazenda localizada no Sítio Galinha dos Maias, zona rural de Cacimbinhas, Sertão de Alagoas. A reportagem do portal detalhedanoticia no youtube e o canal 96 , apresentado pelo radialista Mitchel Torquato, conversaram com uma parente.

A vítima foi Cristóvão Silva de Lima, que foi assassinado com vários tiros. Segundo as primeiras informações o crime foi cometido por pessoas que estariam em um carro que não teve a placa anotada. De acordo com uma irmã da vítima, Cristóvão Silva de Lima, dormia quando foi chamado na porta de casa pelos suspeitos que pediram um balde com águas alegando que o carro em que eles estavam tinha apresentado problemas mecânicos. Nesse momento, a vítima pegou o balde com água e ao seguir em direção do veículo, um dos suspeitos efetuou cerca de quatro disparos.

Ela revelou que o parente não teve chance de defesa nenhuma, e que os tiros deixaram perfurações no tórax e rosto da vítima, e os bandidos não foram identificados ou localizados, e fugiram A família diz que o homem havia sido ameaçado por um cunhado há 30 dias, e revelou que a discussão foi relacionado a questão de herança, mas que NAQUELE DIA , ficou só nas discussões.

“uma vez ele discutiu com um cunhado por causa de questão de herança. Mas essa não foi a única discussão que ele teve com alguém nos últimos dias, ele discutiu com outras pessoas, era muito cabeça quente, então não podemos apontar quem seria culpado por isso” Disse ela.

Discussões com outras pessoas-

A Parente do assassinado revelou que não sabe a quem atribuir o crime, pois a vítima tinha discutido com outras pessoas tempos atrás, ou seja, o cunhado não foi a única pessoa com quem Cristóvão Silva de Lima já havia tido desentendimentos, e isso dificulta para se saber de onde tenha partido a situação, e que é prematuro apontar alguém nesse momento. Segundo informação também passada pela parente, o Cristóvão Silva de Lima, que era uma pessoa de temperamento forte, não levava desaforo para casa.

Segundo a parente, a família aconselhava para que ele fosse mais maleável, mas ele já havia tidos outras discussões com outras pessoas.

“ A situação se deu de uma maneira que ele não teve como se defender. Foi como relatamos, mas não temos como apontar alguém em definitivo agora, pois ele discutiu com muita gente anteriormente. Ele não levava desaforo para casa, a gente aconselhava para ele ser mais maleável, pensar na família, mas ele era muito esquentado. Agora nos resta esperar, pois agora somente uma investigação da polícia pode dizer de onde partiu a situação”. Disse a parente complementando as informações. As causas do homicídio devem ser investigadas pela Polícia Civil.

Relembre abaixo o vídeo gravado com uma parente após o assassinato, onde a familiar falou ao radialista Mitchel Torquato, no canal detalhe da noticia no youtube.